Diminuir tamanho da fonteAumentar tamanho da fonte

21ª Feira Estadual de Economia Popular Solidária comercializa em torno de R$ 700 mil

10 de dezembro de 2019

21ª FEEPS terminou no sábado (7) e teve um público em torno de 5 mil pessoas por dia, nos seis dias de evento.  (Fotos: Cátia Chagas/Comunicação Cáritas RS)

A Feira Estadual de Economia Popular Solidária deste ano encerrou no último sábado (7) com sucesso de público e vendas. Segundo a coordenação, aproximadamente 25 mil pessoas passaram pelo evento durante os seis dias de feira, o que gerou um volume de vendas em torno de R$ 700 mil.

O evento movimentou 475 expositores, representando 1.958 famílias urbanas e rurais do Estado de 37 municípios. Conforme a coordenadora Maribel Kauffmann,  a avaliação da edição desse ano foi positiva, pois em muitos aspectos, a Feira deu um salto de qualidade. “ A infraestrutura melhorou muito em relação aos anos anteriores, como o piso, por exemplo. Também a comissão organizadora estava mais engajada, houve a formação que sensibilizou melhor os participantes”, disse.

Outro ponto importante destacado pela Maribel foi a parceria com a Prefeitura de Porto Alegre, que avançou em relação às anteriores, principalmente na divulgação. “Com o governo do Estado não avançamos, mas o tamanho da feira tem impactado a sociedade como um todo”, completou.

Além disso, este ano, voltaram a participar da feira os municípios de Santana do Livramento, Rio Grande, Pelotas, ijuí, Flores da Cunha, que estavam afastados há algum tempo do evento. Isso foi possível graças à parceria coma Unisol, segundo a coordenadora.

A realização da Feira foi da Avesol, Unisol RS, Rede ITCPs RS, Fetraf/RS, Fórum Gaúcho de Economia Popular Solidária, Fóruns Regionais (Central, Noroeste Colonial, Metropolitano, Passo Fundo, Serra). Os apoiadores são a Avesol, Cáritas RS, que também foi promotora, Patuá Comunicação Solidária, FLD e Prefeitura Municipal de Porto Alegre.

 Sobre a Economia Popular Solidária

Economia Popular Solidária é um conjunto de práticas – de produção, distribuição, consumo, poupança e crédito – organizadas sob a forma de autogestão. Geralmente formam redes de cooperação, que busca ordenar a produção, consumo e distribuição de bens e valores centrada no coletivo social e não no capital. Em resumo, é um modelo de geração de renda que busca o desenvolvimento de seus participantes de forma sustentável, promovendo o cuidado com o meio ambiente.

 

Cáritas Notícias

Cadastre-se e receba por e-mail nossos informativos.

Contato

Cáritas Rio Grande do Sul
Rua Coronel André Belo, 452/3º andar
Cep: 90110-020 - Menino Deus


Porto Alegre/RS
(51) 3272.1700

caritasrs@caritasrs.org.br