English
Diminuir tamanho da fonteAumentar tamanho da fonte

Banquetaço defende a soberania alimentar

01 de março de 2019

Ato público organizado pela sociedade civil pede o retorno do Conselho Nacional de Segurança Alimentar

Em resposta a edição da Medida Provisória 870, que extinguiu o Conselho Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional (Consea), pelo Governo Jair Bolsonaro, a Cáritas RS em conjunto com demais entidades civis promoveram o 1º Banquetaço na Capital Gaúcha, realizado no dia 27/2, as 12h, na Praça da Matriz. No Rio Grande do Sul, o Banquetaço aconteceu simultaneamente em quatro cidades: Porto Alegre, Caxias do Sul, Santa Maria, e Santana do Livramento. A iniciativa consistiu em um ato público, realizado em diversas capitais e cidades do país, que busca mobilizar deputados e senadores pela revogação dos itens da MP 870/2019 que extingue o Consea. Este órgão tinha como competência assessorar a Presidência da República na formulação, execução e monitoramento das políticas públicas de Segurança e Soberania Alimentar e Nutricional.

O Consea contribuiu para a definição e/ou o aprimoramento destas políticas públicas, como: a Estratégia Fome Zero; a Política e o Plano Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional; os Programas de Convivência com o Semiárido; a Política Nacional de Agroecologia e Produção Orgânica; o Plano Safra da Agricultura Familiar; o Programa de Aquisição de Alimentos; o Programa Nacional de Alimentação Escolar; o Guia Alimentar da População Brasileira. Esse ciclo contribuiu para que o Brasil alcançasse reconhecimento internacional nas políticas de combate à fome e promoção da segurança alimentar e nutricional, de modo que, em 2014, não mais figurasse entre os países que compunham o Mapa da Fome elaborado pela Organização das Nações Unidas (ONU).

Segundo o presidente do Consea-RS, Henrique Schuster, várias políticas podem acabar sendo excluídas, como o Programa de Aquisição de Alimentos (PAA), que valorizou a agricultura familiar. Ainda segundo ele, discussões como a melhoria da qualidade da merenda escolar, também passaram pelo Conselho: “- Realizamos esse ato para a população conhecer um pouco mais dessas preocupações e tudo o que podemos fazer daqui para frente para que essas políticas públicas de segurança alimentar e nutricional avancem e não sejam perdidas”, explicou.

Refeições oferecidas no Banquetaço foram preparadas com alimentos orgânicos

Durante o ato, foram servidas comidas tradicionais de povos de matriz africana, como galinha com farofa para cerca de 500 pessoas. Para Carla Zanella, que articula a retomada da Frente Parlamentar em Defesa dos Povos Tradicionais de Matriz Africana na Assembleia Legislativa (AL), o Consea é o órgão que garante a soberania alimentar de povos tradicionais. Segundo ela, diversos chefs de origem africana prepararam os pratos serviços na Praça da Matriz. Além das falas das autoridades e representantes de entidades também houveram manifestações culturais como roda de samba carnavalesco, canto indígena e batuques africanos.

Manifestações culturais movimentaram o Banquetaço em Porto Alegre

Outras cidades que também realizaram o Banquetaço

  • Fortaleza (CE)
  • Parangaba (CE)
  • Salvador (BA)
  • Ribeirão Preto (SP)
  • Maceió (AL)
  • Goiânia (GO)
  • Curitiba (PR)
  • Santos (SP)
  • Vitória (ES)
  • Aracaju (SE)
  • Campo Grane (MS)
  • Lavras (MG)
  • Poços de Caldas (MG)
  • Rio de Janeiro (RJ)
  • Brasília (DF)
  • Botucatu (SP)
  • São Luiz (MA)
  • Juiz de Fora (MG)
  • São Paulo (SP)
  • Recife (PE)
  • Porto Seguro (BA)
  • São José dos Campos (SP)
  • Belo Horizonte (MG)
  • Florianópolis (SC)
  • Natal (RN)
  • Viçosa (MG)

Cáritas Notícias

Cadastre-se e receba por e-mail nossos informativos.

campanha-da-fraternidade-2019

campanha-da-fraternidade-2019

Contato

Cáritas Rio Grande do Sul
Rua Coronel André Belo, 452/3º andar
Cep: 90110-020 - Menino Deus


Porto Alegre/RS
(51) 3272.1700

caritasrs@caritasrs.org.br