English
Diminuir tamanho da fonteAumentar tamanho da fonte

Diocese de Santa Cruz do Sul aposta na juventude para a produção sustentável de alimentos

13 de abril de 2018

Projeto “Sementes Crioulas, Sementes da Vida” forma 65 jovens da zona rural para serem guardiões de sementes crioulas e multiplicadores de técnicas agroecológicas.

É comum ouvir “não adianta apostar na juventude, eles não querem nada com nada”, entretanto esta frase não se aplica àqueles, que mesmo muito novos, nutrem o sonho de protagonizar a mudança para tornar nosso mundo melhor. Em resposta a esta falsa afirmação, o projeto “Sementes Crioulas, Sementes da Vida” prega que “se existe algo que vale a pena, é apostar nos jovens”. Esta iniciativa é desenvolvida pela Ação Social Diocesana de Santa Cruz do Sul – ASDISC, com apoio do Fundo Brasileiro da Biodiversidade – Funbio, e vem proporcionando a 65 jovens da roça o curso de formação em Agroecologia, para que eles se tornem guardiões de sementes crioulas e multiplicadores deste conhecimento. Os participantes são desafiados a desenvolverem seus próprios projetos de agroecologia. A seguir conheceremos exemplos bem-sucedidos e fonte de inspiração para outros jovens e agricultores da região.

Estufa do Alexandre – Alexandre Sbruzzi é um jovem agricultor de 23 anos que mora em Colônia São Paulo, distante 18 km do município de Gramado Xavier-RS, e junto com sua família cultivam fumo, cultura bastante comum na região na qual muitos agricultores locais são dependentes e mesmo que muitos desejem sair, não encontram alternativas. Com o propósito de buscar outras alternativas de cultivos, diversificando e apostando na produção de alimentos ecológicos, ele participou da formação e optou por desenvolver uma estufa para produzir alimentos limpos de agrotóxicos, tanto para consumo próprio, como para geração de renda. Em novembro de 2017, foi organizado um mutirão solidário que contou com a ajuda de outros participantes do projeto foi construída a estufa na propriedade da família de Alexandre. A instalação mede cinco metros de largura por doze metros de comprimento, totalizando 60 metros quadrados de área de plantio e conta com um sistema de irrigação por gotejamento. O “Sementes Crioulas Sementes da Vida investiu cerca de R$ 2.000,00 na compra de material plástico especial para estufa, arcos de zinco e insumos de irrigação) e em contrapartida os jovens entraram com a madeira e mão-de-obra.

A estufa, como é possível visualizar na foto acima, já está produzindo alimentos de forma ecológica em harmonia com a floresta nativa da Mata Atlântica, bioma no qual o projeto se propõe a preservar, proporcionando a correta utilização do recurso ambiental.

O jovem agricultor já colheu, desde novembro do ano passado, rabanete, couve-chinesa e alface. Ele relata que começou a participar do Programa de Aquisição de Alimentos da Agricultura Familiar – PAA e comemora a venda de 100 pés de alfaces num total de 35 kilos ao preço de R$ 10,00 por kg, e 51 kilos de feijão de semente crioula ao preço de R$ 5,50 por kilo. “Estou contente e quero melhorar e ampliar ainda mais a produção”, revela.

Estufa da Rita – Rita Natália Gasparotto tem 23 anos e pertence a outra comunidade de Gramado Xavier-RS, também jovem integrante do Projeto “Sementes Crioulas, Sementes da Vida”, é residente na comunidade de Volta Alegre, distante cinco kilometros do centro da cidade. Assim como Alexandre, ela demonstra entusiasmo e grande expectativas no desenvolvimento do seu projeto, cujo mutirão de construção aconteceu dia 16 de março. Foi construída uma estufa modelo túnel, que mede cinco metros e meio de largura por dez metros de comprimento, totalizando 55 metros quadrados de área cultivável. Rita e sua família criam animais para o seu consumo, tais como, galinhas caipiras, porcos e gado de leite e corte, e além de produzirem boa parte dos alimentos que comem diariamente (feijão, mandioca e milho crioulo), também alimentam os animais que criam. Seu projeto contempla o cultivo de alfaces, tempero verde, tomate, pepino, além do que já é e será produzido fora da estufa em uma área que totaliza aproximadamente 2.500m². “Estou muito feliz por poder produzir sem veneno em nossa propriedade, da maneira que acho correta”, relata empolgada.

A jovem agricultora Rita em Rita feliz em frente a sua estufa/túnel

Na foto abaixo é possível ver a estufa construída com o sistema de irrigação.

O sucesso do projeto se deve ao fato dele proporcionar um aprendizado teórico e prático, que possibilita a maior absorção dos conceitos de agroecologia que possibilitam aos jovens tornarem-se protagonistas de seu sustento de forma a preservar o meio ambiente e também difundirem as melhores práticas de cultivo. Além destes dois exemplos citados nesta matéria, os outros integrantes do “Sementes Crioulas, Sementes da Vida” são oriundos dos municípios de Progresso, Cruzeiro do Sul, Arroio do Meio, Venâncio Aires, Lajeado, Dois Lajeados, Passo do Sobrado e Taquari.

Cáritas Notícias

Cadastre-se e receba por e-mail nossos informativos.

campanha-da-fraternidade-2018

campanha-da-fraternidade-2018

Contato

Cáritas Rio Grande do Sul
Rua Coronel André Belo, 452/3º andar
Cep: 90110-020 - Menino Deus


Porto Alegre/RS
(51) 3272.1700

caritasrs@caritasrs.org.br